MURY
17/4/2004
Reportagens
 
Custódio e Rosângela

Águias de Ouro
   Conta a lenda que as águias de ouro, assim chamadas pela coloração que suas asas adquiriam ao serem alcançadas pela luz do sol, de tempos em tempos, alçavam vôo às partes mais altas das montanhas a fim de submeterem-se ao rito anual de renovação.
   Após certo período, reclusas entre as escarpas, elas se transmutavam externa e internamente, dando continuidade a mais um ciclo de vida.
   Com o passar das eras, vieram as inevitáveis mudanças e quiseram os deuses todos que as águias de ouro e o que elas simbolizavam fossem preservados. Para que isto acontecesse, em homens –águias foram transformadas.
    Já nos tempos atuais, elas ainda cumprem o seu destino secular. Como que obedecendo a um chamado, só pelos hoje homens-águias percebido, vêm, alguns solitários, outros em grupos ou em família, de várias direções. A inexorabilidade os reúne, conduzindo-os ao locus da transmutação.
   O outrora reduto desconhecido e sagrado ganhou um novo nome: Mury. O ponto de encontro, Hotel Garlipp. Mudou a aparência, mas não o objetivo, a hospedagem acolhedora.
   Os homens - águias não mais possuem asas, mas, ainda assim, continuam desfrutando, sobre duas rodas, do seu bem maior: a liberdade. Ontem belas plumagens, hoje magníficas carenagens, que a tantos quantos os vêem causam admiração.
   Lá, entre verdes, seu reduto natural, os homens – águias confraternizam-se. Boa mesa, boa conversa. Na troca salutar revigoram-se. A hora do ritual a todos faz calar. O novo revitaliza o antigo. Homenageiam-se estes, incorporam-se aqueles. Tradição e modernidade se dão as mãos.
   A alegria do encontro a todos contagia e, ao som do seu grito de guerra, ôôô viiidaaa boooa, recolhem-se ao repouso. A noite fria os silencia.
   Já no dia seguinte bem cedinho a hora é de despedida. Os mais velhos, pela experiência precavidos, iniciam o seu retorno. Os demais pouco - a - pouco os acompanham.
   Os homens – águias partem, mas levam a certeza de que, daqui a um ano, tal encontro se repetirá.
   - Meninos, eu vi!
   

 
Colaborador: Custódio e Rosângela
Fonte: texto original de participantes